O meu pai tem esta doença má e injusta. A minha mãe foi a sua cuidadora, durante alguns anos! Desde junho de 2012 ele está num lar, porque a minha mãe já não conseguia cuidar dele. A ideia do Blogue é para buscar apoios, ajudas, partilhas, informação.

Domingo , 26 de Fevereiro DE 2012

Este sábado

Desde o dia de Natal que não estava com os meus pais. É a distancia, é o facto de trabalhar ao fim de semana, são tantas coisas...já tinha saudades!

 

Há coisas que vejo que me angustiam e deixam triste, e há outras que até me dão alegria. Fico triste quando vejo a impaciência da minha mãe com ele, apesar de compreender que ela está mesmo exausta. Ela ralha com ele, e como estou tão pouco tempo com eles fico triste. Mas depois e apesar de ele ouvir mal, fiquei feliz por conseguir ter uma pequena conversa com ele, e porque ele me reconheceu de imediato, e desta vez até se lembrou do nome do neto.

Mas eles os dois precisam de mais apoio. Continuo sem perceber, porque é que nos lares da santa casa, só aceitam o casal e não só ele, já que ele é que precisa!

 

No final do dia quando me fui despedir, e lhe disse que me ia embora, ele respondeu: " pois, não és de cá!" e eu respondi: "pois já fui..." e ele responde: " mas agora já não te importavas de voltar a ser, não era?" Não sei porque ele disse aquilo e nem tive resposta, apenas sorri para ele.

publicado por alzheimerdepapie às 18:34
Quinta-feira , 23 de Dezembro DE 2010

Ele caiu da cama

A minha mãe contou-me que durante a noite, ele caiu da cama. Eles estavam os dois sozinhos e não foi nada fácil levantá-lo! Na minha pesquisa li que há umas barras para colocar nas camas de forma a proteger das quedas. Não faço ideia de onde isso se vende nem a que preço, ainda tenho de procurar.

 

Agora também deu para não querer tomar banho, para não se querer despir. Felizmente é no Centro que ele também toma banho. Já é bom ter este apoio. Mas infelizmente não chega!

publicado por alzheimerdepapie às 13:00
Terça-feira , 21 de Dezembro DE 2010

Uma velhice bem mais digna para os pais

O meu pai até agora,  sempre me tem reconhecido. Nem quero pensar que pode chegar o dia em que ele não se lembre de mim, uma vez que vivo longe e estou pouco com ele. Ele pergunta por mim à minha mãe. Sei que ele deve ter saudades minhas!

Quem me dera ser rica, ter uma casa enorme, onde pudesse ter os meus pais comigo, para além de poder pagar a alguém bem formado que estivesse também a cuidar dele. Se eles trabalharam uma vida inteira e criaram os filhos, tinham direito a uma velhice bem mais digna.

Mas como, não somos ricos, temos de tentar fazer com aquilo que temos os possíveis para lhes darmos todo o apoio. Lamentavelmente, e que eu tenha conhecimento, o Estado não  ajuda.

Gostava que o Estado desse apoio domiciliario, colocando profissionais especializados na doença a visitar estas pessoas, principalmente durante a noite, já que de dia o meu pai costuma ir a um Centro de Dia.

 

publicado por alzheimerdepapie às 17:33
21 de Setembro → Dia Mundial da Doença de Alzheimer alzheimerPortugal

mais sobre mim

separador separador Reportagem TVI – “Ás vezes sou eu” separador separador alzheimerdoente separador separador A FRASE DO ANO 2010, PROFERIDA PELO PRÉMIO NOBEL DA MEDICINA, O ONCOLOGISTA BRASILEIRO DRAUZIO VARELLA : "No mundo actual, investe-se cinco vezes mais em medicamentos para a virilidade masculina e silicones para as mulheres do que na cura do Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de mamas grandes e velhos com pénis duro, mas nenhum se recordará para que servem".

Julho 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

últ. comentários

links

arquivos

tags

favoritos

mais comentados

pesquisar

 

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro