O meu pai tem esta doença má e injusta. A minha mãe foi a sua cuidadora, durante alguns anos! Desde junho de 2012 ele está num lar, porque a minha mãe já não conseguia cuidar dele. A ideia do Blogue é para buscar apoios, ajudas, partilhas, informação.

Quinta-feira , 30 de Dezembro DE 2010

A dificuldade dos comprimidos continua

A minha mãe já não sabe o que fazer para que o meu pai tome os comprimidos para as dores, por causa da queda da cama. Primeiro a minha mãe deu-lhe o comprimido na boca, ele bebeu imensa água, mas o comprimido continuava lá. Depois a minha mãe dissolveu o comprimido em água e também em sumo e ele disse sempre que era amargo. Lá conseguiu que ele bebesse um pouco de café, mas também não bebeu na totalidade. Eu queria dizer à minha uma maneira, mas também não sei. Se pelo menos eu estivesse mais perto deles para também tentar. Ou se conhecesse alguém em situação semelhante que me pudessedar uma ideia para que isto resulte...

tags:
publicado por alzheimerdepapie às 16:46

Poema: Alzheimer

Encontrei o poema que se segue num blog The Chess Lover. Não sei quem é o autor, gostaria de deixar um comentário a pedir autorização para o publicar neste blog, mas não consegui deixar o comentário. Espero que o autor não se importe, pois o poema é lindo, e diz-me muito. Quem tem amigos ou familiares com Alzheimer de certo que o entenderá!

 

Alzheimer

 

O que vê não sente,

E o que sente quer ver,

O que imagina quer viver,

E o que vive só faz sofrer.

 

O que sou é uma miragem

E uma miragem é o que enxergo,

Quando vou, quando chego,

Quando olho para uma simples paisagem.

 

Para onde olho nada recordo,

E o que recordo mal sei quando o esquecerei,

Será repentino, não repararei,

Sinto o vazio quando acordo.

 

Quando acordo penso,

E do que ainda me lembro sorrio,

Deste profundo sonho imenso,

A minha vida imaginária crio.

 

Da minha real vida já nada sei,

Nem quem sou nem quem amei,

A mente apagou-se como uma vela a arder,

E ninguém a voltará a acender.

 

O passado é uma réstia de sanidade,

O presente apenas um dia mais,

O futuro uma estrada sem piedade

A minha vida, um porto sem cais.

publicado por alzheimerdepapie às 16:23
Terça-feira , 28 de Dezembro DE 2010

Não há maneira de o fazer tomar os comprimdos

As coisas não estão fáceis para os meus velhotes. Desde que o meu pai caiu da cama, que ele se queixa com dores. Já foi duas vezes ás urgências, onde na ultima fez um RX e segundo o médico não tem nada partido. Tem uns comprimidos para tomar, mas a minha mãe não consegue que ele os tome, pois ele recusa-se a tomá-los!Ela já tentou de várias maneiras, mas é muito complicado. Não adiante explicar que os comprimidos são para ele ficar melhor , ele não entende. Com estas dores, esta semana não tem ido ao Centro de Dia, pois não consegue fazer viagens sem se queixar das dores. A minha mãe é que tem estado sempre a cuidar dele. O tempo também não ajuda. Está muito frio, e ele quer ir à rua, quer ver a horta...e não convém nada sair de casa com este tempo...

Haverá algum apoio para estes casos? Qualquer coisa, como apoio ao domicilio? Eu acredito que com a mudança da estação as coisas melhorem um pouco, mas agora está mesmo difícil...

publicado por alzheimerdepapie às 21:28
Segunda-feira , 27 de Dezembro DE 2010

A Doença de Alzheimer será hereditária?

Esta é uma questão que ultimamente me tem preocupado. Pelo que tenho pesquisado, pode ou não acontecer. Assusta-me um pouco. E talvez por pensar muito nesta questão da hereditariedade, já ando a anotar as minhas tarefas numa agenda com receio de me esquecer de algo importante. Já cheguei a voltar atrás por não me lembrar de ter fechado uma janela; muitas vezes chego ao trabalho e não me lembro de ter passado por determinado local que fica no caminho. Mas como me têm dito, é psicológico!!!

 

Encontrei a seguinte  explicação do site ALZHEIMER PORTUGAL :

 

«A Doença de Alzheimer é hereditária?
Não existe um gene específico responsável por todos os casos da doença de Alzheimer.

Todos podemos, a determinado momento, desenvolver a doença.
Num muito reduzido número de famílias, a doença de Alzheimer é causada por um problema genético e hereditário, conhecido como a doença de Alzheimer familiar.
Neste tipo de famílias, a doença desenvolve-se, normalmente, entre os 35 e os 60 anos.»

 

publicado por alzheimerdepapie às 20:20
Domingo , 26 de Dezembro DE 2010

A FRASE DO ANO 2010

alzheimer12A

  

"No mundo actual, investe-se cinco vezes mais em medicamentos para a virilidade masculina e silicones para as mulheres do que na cura do Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de mamas grandes e velhos com pénis duro, mas nenhum se recordará para que servem".

 

                                                 Pelo prémio Nobel da Medicina, o Oncologista brasileiro Drauzio Varella 

 

 

 

As imagens exibidas neste post, foram retiradas da internet

Dr Dráuzio Varela

 

publicado por alzheimerdepapie às 16:11

Uma reportagem sobre Alzheimer na TVI

Reportagem «Às vezes sou eu» TVI

 

Vi esta reportagem no dia em que passou na TVI, e já a revi no Site. Apesar de ser muito triste, penso que aprendi mais umas coisas sobre a doença. Tenciono rever mais vezes, pois há sempre um pormenor ou outro que me escapa.

 

publicado por alzheimerdepapie às 11:55
Sábado , 25 de Dezembro DE 2010

Neste dia de Natal

Hoje, dia de Natal, fui com o meu marido e o meu filho almoçar a casa de meus pais. Desde há dois anos para cá que a minha mãe já não faz o almoço de Natal onde reunia todos os filhos e netos. Mesmo assim, resolvemos ir até lá e levei o almoço já feito.

Ainda cheguei cedo e o meu pai não estava acordado. Momentos depois ouvimos ele chamar pela minha mãe (dela e do nome , ele nunca se esquece). Ainda ouvi ele dizer à minha mãe que queria se ir sentar ao sol - e estava a chover imenso! A minha mãe  trouxe-o do quarto e eu fiquei a aguardar na cozinha. Estava com muito receio que ele não me reconhecesse, pois já não os visitava acerca de dois meses. Como já lhe custa muito caminhar, vinha com uma bengala e a minha mãe ainda puxava por ele. Quando me viu, parou, deu um sorriso lindo e chamou pelo meu nome. Deu-me dois beijinhos e um abraço. Nesta altura só estava eu por perto, mas depois também pediu um beijinho ao neto e cumprimentou o genro. Depois ainda me falou dos cães. Por momentos a Alzheimer parecia não estar ali.

Na hora de ir embora, quando me fui despedir, ele  disse-me:“ então já vais embora!? Mas para a semana vens cá outra vez, não é?” Acenei a cabeça que sim, mas na verdade, não devo de ir. Eu gostaria de poder ir mais vezes. Hei-de arranjar uma forma de ir mais vezes, porque percebi que é o que ele quer. Deve sentir falta de ter os filhos por perto.

publicado por alzheimerdepapie às 23:16
Quinta-feira , 23 de Dezembro DE 2010

Ele caiu da cama

A minha mãe contou-me que durante a noite, ele caiu da cama. Eles estavam os dois sozinhos e não foi nada fácil levantá-lo! Na minha pesquisa li que há umas barras para colocar nas camas de forma a proteger das quedas. Não faço ideia de onde isso se vende nem a que preço, ainda tenho de procurar.

 

Agora também deu para não querer tomar banho, para não se querer despir. Felizmente é no Centro que ele também toma banho. Já é bom ter este apoio. Mas infelizmente não chega!

publicado por alzheimerdepapie às 13:00

Ele pensa muito em trabalho...

O meu pai começou há pouco tempo a ir durante o dia para um Centro de Dia, de forma a que a minha mãe assim possa descansar mais um bocadinho. No inicio resultou muito bem. Muitas vezes o meu pai acordava às 6h da manhã, preocupado com as horas para se despachar para ir para lá! Ficava ansioso para ir. Mas agora está muito frio, e ele já não tem a mesma vontade! Ontem ele disse assim á minha mãe: " Se não fosse a gente precisar tanto do dinheiro, hoje não ia, está tanto frio. E fartamos-nos de trabalhar e ninguém nos paga"! Eu penso para comigo:será que ele pensa que vai para o trabalho?!Ele vai numa carrinha, e a viagem ainda é longa, ele chega cheio de dores nas costas! 

Está tudo muito complicado...

tags:
publicado por alzheimerdepapie às 08:08
Quarta-feira , 22 de Dezembro DE 2010

Por vezes ele diz coisas engraçadas

Apesar da minha mãe já andar super cansada por cuidar do meu pai, por vezes os "disparates" que ele diz fazem-na rir! E depois quando, ao telefone ela me conta, nós achamos graça. Eu ainda não assisti propriamente a um dessas momentos, porque estas "alucinações", ele tem as quase sempre durante a noite.

Umas vezes os seus disparates são engraçados, outras vezes nem tanto. Muitas vezes durante a noite ele quer ir para a rua, ou diz que não almoçou ou que não jantou. A minha mãe tem de esconder a chave da porta para ele não sair, outras vezes abre-lhe a porta para lhe mostrar que é mesmo noite.

Eu cá já cheguei a uma conclusão: é melhor concordar com ele, nem que seja um grande disparate, se o confrontamos ele fica mais irritado!

 

 

 

publicado por alzheimerdepapie às 08:38
21 de Setembro → Dia Mundial da Doença de Alzheimer alzheimerPortugal

mais sobre mim

separador separador Reportagem TVI – “Ás vezes sou eu” separador separador alzheimerdoente separador separador A FRASE DO ANO 2010, PROFERIDA PELO PRÉMIO NOBEL DA MEDICINA, O ONCOLOGISTA BRASILEIRO DRAUZIO VARELLA : "No mundo actual, investe-se cinco vezes mais em medicamentos para a virilidade masculina e silicones para as mulheres do que na cura do Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de mamas grandes e velhos com pénis duro, mas nenhum se recordará para que servem".

Dezembro 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
18
19
24
29
31

posts recentes

últ. comentários

links

arquivos

tags

favoritos

mais comentados

pesquisar

 

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro